Livro de Urantia

Grupo de Aprendizes da Informação Aberta

Índice Superior    Vai para o próximo: Capítulo 1

Arquivos de Impressão: Capítulo 0 em Tamanho A4.

Livro em Texto (txt).


História dos Documentos de Urantia
De Larry Mullins
Com Meredith Justin Sprunger

Traduzido generosamente por
Francisco Santos de Oliveira

Capítulo 0
Introdução

Introdução
    0.1  Unificando ciência, filosofia e religião
    0.2  A revelação completa pertence à Deus no Paraíso
    0.3  Veracidade reconhecida dos envolvidos nesta revelação
    0.4  Cuidado com as versões falsas desta história
    0.5  A sinceridade do autor desta história
    0.6  Agradecimentos

0_1 Existe, em todas as associações de personalidades da mente cósmica, uma qualidade que poderia ser denominada de "resposta à realidade". É essa dotação cósmica universal das criaturas dotadas de vontade que as salva de se tornarem vítimas passivas das suposições a priori implícitas da ciência, da filosofia e da religião. Essa sensibilidade, à realidade da mente cósmica, responde a certas fases da realidade, exatamente como a matéria-energia responde à gravidade. Seria mais correto dizer que essas realidades supramateriais respondem desse modo à mente do cosmo. (Livro de Urantia - página 191, parágrafo 7)
0_2 "Das mais intensas complexidades, emergem as mais intensas simplicidades".
WINSTON CHURCHILL
0_3 Existem, no vasto universo, seres espirituais da mais elevada inteligência? Têm eles alguma notícia de nós? Presumindo que haja tais inteligências, procurariam eles alguma vez comunicar-se conosco e tentariam ajudar-nos? Noutras palavras, o conceito de revelação é uma premissa válida? O que quereriam, ou poderiam com segurança revelar-nos, inteligências mais elevadas, mais maduras e de maior desenvolvimento espiritual?
0_4 Se você tiver ponderado a plausibilidade de tais coisas, a história dos documentos de Urantia irá interessá-lo. ("Urantia" é nome dado nos documentos, para identificar o planeta Terra). A história dos documentos cobre um período de 1906 a 1955, culminando na publicação do Livro de Urantia. Embora haja acima de meio milhão de cópias do Livro de Urantia publicados, uma apresentação completa e apropriadamente documentada da história por trás desse fato jamais foi antes apresentada. Sim, este épico virtualmente desconhecido é talvez o mais notável do turbulento século vinte.

0.1  Unificando ciência, filosofia e religião

0.1_1 A primeira e mais comum pergunta acerca do Livro de Urantia é: "Quem escreveu isto?" Algumas vezes, mesmo um leitor casual, sem qualquer intenção de estudar o material, deixa-se levar por essa curiosidade. Os mais de um milhão de palavras dos documentos de Urantia nada mais são do que uma tentativa sem precedentes de estabelecer uma imensa integração de três corpos de conhecimentos: 1. Fatos científicos; 2. Realidades espirituais; e 3. Verdade filosófica.
0.1_2 As três grandes disciplinas têm sido tradicionalmente restringidas a compartimentos logicamente fechados e tratados separadamente. Cada uma dessas disciplinas ciência, religião e filosofia contém informações essenciais mas inadequadas, acerca do que somos, de onde viemos e para onde vamos. Os Documentos de Urantia tiram proveito dos mais altos conhecimentos humanos disponíveis até á época em que foram escritos, para propor extraordinárias novas relações entre as disciplinas-chave. Os Documentos sugerem novas possibilidades e acrescentam, a essas idéias, informações reveladoras originais. O resultado é uma enaltecedora visão da humanidade que é sem paralelo ou precedente na literatura.

0.2  A revelação completa pertence à Deus no Paraíso

0.2_1 Os Documentos de Urantia proclamam ser a revelação de uma época. Não obstante, tomam a posição reveladora sem par de negar infalibilidade1. Inquestionavelmente, os Documentos são profundamente religiosos, ainda assim não procuram estabelecer uma nova religião. Em vez disso, procuram integrar filosoficamente o conhecimento evolucionário científico com a verdade espiritual. Embora alguns dos conteúdos científicos dos Documentos de Urantia sejam datados, se os mais modernos dados científicos devessem tomar seus lugares, a larga síntese filosófica subsistiria. Os Documentos são, essencialmente, uma exposição e expansão da vida e ensinamentos de Jesus de Nazaré, colocados num esplêndido contexto cosmológico, numa escala que jamais foi antes tentada neste planeta. Talvez proclamações de tal extensão levantem as suspeitas de qualquer pessoa pensante. Contudo, uma mente honesta também descobrirá que há demasiados conceitos originais e substanciais nos Documentos de Urantia para que sejam descartados como uma fabricação esotérica.

0.3  Veracidade reconhecida dos envolvidos nesta revelação

0.3_1 Passei mais de trinta anos estudando os Documentos de Urantia. Tenho tido dúzias de discussões com muitas pessoas que têm conhecimento pessoal acerca dos acontecimentos que culminaram na materialização dos Documentos. Como consequência, estou totalmente convencido de que, por volta de 1906 - 1955, seres não-materiais de maturidade e inteligência super-humanas tiveram regularmente intercurso com um grupo de (eventualmente) seis mortais, com o fim de proporcionar uma revelação religiosa para toda uma época.
0.3_2 As pessoas envolvidas não eram médiuns nem diletantes. Pelo contrário, a figura chave, o Dr. William S. Sadler, era um psiquiatra de projeção nacional e autor de 42 livros. O Dr. Sadler tinha uma bem-merecida reputação de desmistificador de fenômenos psíquicos. Em seu livro, The Mind at Mischief, ele se refere àqueles que se engajam em tais fenômenos esotéricos como geralmente: "Médiuns fraudulentos e pacientes psíquicos auto-iludidos". A história de sua luta contra o reconhecimento honesto do que ocorreu ante os seus olhos, e a validação daquilo que ele tinha sido treinado durante toda sua vida como cientista para desmistificar, é uma fascinante sub-trama para a história dos Documentos de Urantia.
0.3_3 Contudo, o Dr. Sadler e os outros cinco protagonistas centrais nesses acontecimentos, agora já se foram. Ao lado dos próprios Documentos, os seis participantes-chave deixaram apenas fragmentos de informação sobre como os Documentos de Urantia vieram a existir. Não há, nem jamais houve, uma autoridade sobre os Documentos de Urantia, nem sobre suas origens, nem seus notáveis conteúdos. Não se sabe inteiramente como os Documentos foram materializados na língua inglesa. Embora nenhum autor tenha jamais sido associado com os Documentos de Urantia, houve um sétimo indivíduo que é criticamente importante para esta discussão. Ele tem sido chamado o "sujeito adormecido", ou a "personalidade de contato". Todos os informes indicavam que ele era uma pessoa comum que estava um tanto envolvido com a materialização dos Documentos de Urantia. Sabemos apenas que ele não era um assim chamado médium, e embora o texto completo dos Documentos de Urantia estivesse originalmente em forma escrita, podemos razoavelmente declarar que ele não foi o autor, nem "canalizou" ou produziu por "escrita automática" os Documentos de Urantia. Os Documentos de Urantia nos dizem que uma partícula de Deus reside em cada mortal normal e moralmente consciente, e este Fragmento Divino de alguma forma participou na materialização, mas a mente do sujeito humano adormecido não foi usada. O Dr. Sadler declarou enfática e repetidamente que nenhum fenômeno psíquico conhecido esteve associado com a materialização dos Documentos de Urantia. O sujeito adormecido jamais foi identificado, e provavelmente jamais o será.

0.4  Cuidado com as versões falsas desta história

0.4_1 Seguramente, a intenção dos reveladores invisíveis não era criar mistérios, mas estabelecer em vez disso uma estrutura que permitisse aos Documentos de Urantia sustentarem-se por si mesmos. Era aparentemente considerado desejável, pelos reveladores, que os leitores baseassem suas avaliações dos Documentos de Urantia puramente sobre o respectivo conteúdo, e não sobre alguma suposta fonte "miraculosa". Portanto, nem a identidade do "sujeito adormecido", nem o pouco que o grupo de seis sabia sobre a materialização dos Documentos era para ser descoberto. Contudo, sendo a natureza humana o que é, gradualmente desenvolveu-se muita especulação acerca da identidade do sujeito e o método e as circunstâncias pelas quais os Documentos de Urantia vieram a existir2.
0.4_2 Infelizmente, por essas razões a conjetura preencheu o vazio. Devido à natureza do material nos Documentos de Urantia, eles atraíam uma grande variedade de indivíduos. Alguns eram mais atraídos pelos apócrifos que envolviam a origem dos Documentos de Urantia do que pela mensagem espiritual dos próprios Documentos. Semelhantemente, os críticos dos Documentos de Urantia geralmente têm focalizado mais os registros errôneos das origens dos Documentos e a alegada fraqueza das pessoas envolvidas no Movimento de Urantia, e não têm considerado seriamente o conteúdo da revelação. Estudiosos sérios têm sido repelidos pelas especulações bizarras de uns poucos pretensos Urantianos, tanto quanto pelos comentários feitos por críticos dos Documentos, muitos dos quais proclamam ter um status especial e ter posse exclusiva de informações "interiores".
0.4_3 Contudo, em anos recentes, um corpo de fatos históricos acerca dos Documentos emergiram gradualmente do segundo plano. Se pudéssemos retroceder, por assim dizer, e visualizar todas as informações disponíveis de uma só vez, nós seríamos verossimilmente confundidos. Contudo, se começássemos a seguir, com cuidado e discriminação, o fio cronológico dos fatos verificáveis, poderíamos traçar um curso contínuo, documentado e consistente. As fontes são dispersas e variadas, mas o corpo emergente de informações é consistente consigo mesmo - plausível, e geralmente satisfatório.
0.4_4 Esperei que uma acurada história documentada dos Documentos de Urantia fosse eventualmente formulada, mas isso não aconteceu. Por isso, decidi fazer o esforço. Este registro não será onerado por qualquer aprovação ou sanção "oficial". Para começar, é importante compreender que isto é uma história dos Documentos de Urantia, não uma história do que tem sido chamado o Movimento de Urantia. Discutiremos a condição do leitor e as personalidades envolvidas apenas na medida em que estejam relacionados com a história dos Documentos de Urantia.
0.4_5 Eu não tentaria a redação desta história sem a ajuda do Dr. Meredith Justin Sprunger. Ele é um ministro ordenado com experiência em teologia e filosofia, um cientista social com um doutorado em psicologia, e tem tido uma distinguida carreira como um professor universitário e administrador. Ele tem tido, também, uma extensa carreira de escritor, e é correntemente o editor do The Spiritual Fellowship Journal [Revista da Irmandade Espiritual]. O Dr. Sprunger conhecia três dos seis indivíduos que formaram o grupo (conhecido como a Comissão de Contato) que se comunicava com os Reveladores celestiais. Quando me encontrei com o Dr. Sprunger, em meados dos anos setenta, eu tinha muitas dúvidas acerca da origem dos Documentos de Urantia. Era muito difícil obter informação naqueles dias. Eu sabia que ele havia escrito vários documentos sobre a origem, conteúdo e significado dos Documentos de Urantia, e era o autor do único material "oficial" que fora publicado pela Urantia Foundation (os publicadores do The Urantia Book) sobre a origem da Revelação. Eu tinha certeza de que o Dr. Sprunger sabia mais do que lhe era permitido apresentar em seus escritos oficiais. Para minha surpresa, descobri que ele era aberto e sincero sobre o que sabia. Diferentemente de qualquer indivíduo nos "círculos internos" suas explicações eram claras e refrescantes. Ele supriu-me (como tem muitos buscadores) com seus próprios escritos acerca dos Documentos, e também prudentemente revelou muitas coisas interessantes que o Dr. Sadler lhe tinha dito. Minha curiosidade logo se dissipou, e eu segui o conselho do Dr. Sprunger e continuei a avaliar os Documentos de Urantia com base nos seus conteúdos. Ao longo dos anos eu fiquei completamente convencido de que os Documentos de Urantia são exatamente o que eles se propõem ser: uma Revelação com significado para toda uma época.
0.4_6 Contudo, eu estava convencido de que muitas perguntas acerca da origem permaneciam sem resposta, e várias portas "proibidas" jamais tinham sido abertas à investigação sincera. Como já declarei, eu tinha esperado que eventualmente algum Urantiano dos velhos tempos destemerosamente abrisse aquelas portas e começasse uma autêntica investigação histórica. Então ocorreu-me um dia que eu próprio me tornara um dos velhos tempos. Tinha-me sido entregue uma primeira edição do Livro de Urantia por Clyde Bedell, que era um dos primeiros Urantianos e um membro privilegiado do grupo chamado o Fórum. Eu tinha observado Clyde fitar atentamente uma imensa mesa coberta de filas de cartões 8 x 13, enquanto ele preparava sua original Convenção do Livro de Urantia. Eu trabalhara para Clyde durante três anos e discutira os Documentos de Urantia e suas experiências no Fórum numerosas vezes. Nos anos setenta eu tive diversas conversações com um dos sobreviventes da Comissão de Contato e servira por oito anos como um Conselheiro Geral no que então era chamada a Irmandade Urantia.
0.4_7 Afortunadamente, minha esposa Joan (que originalmente sugeriu este projeto) tinha um notável conhecimento dos Documentos. Tenho sempre dependido do discernimento e da integridade de Joan quando desenvolvendo empreendimentos relativos a Urantia. Mesmo assim, nós chegamos à compreensão de que necessitávamos de ajuda, e que uma adequada história dos Documentos de Urantia só poderia ser conseguida com a sabedoria e colaboração de um grupo. Seria necessário o esforço conjunto de vários Urantianos. Eu primeiro procurei o nosso amigo Dr. Sprunger. Gradualmente acrescentamos diversos Urantianos oportunos que tinham um conhecimento excepcional dos Documentos de Urantia e um bocado de experiência no Movimento de Urantia.
0.4_8 As páginas seguintes penetrarão profundamente na origem da Revelação. As primeiras investigações do Dr. Sprunger produziram grande quantidade de informação. Seu conhecimento é o produto de anos de pesquisa e horas de discussão com os associados com a origem dos Documentos. Durante o período desta pesquisa, o Dr. Sprunger tinha continuado a cumprir seus deveres de pastor na Igreja Unida de Cristo. Sua carreira como um membro do corpo docente do Instituto de Tecnologia da Indiana também prosseguiu. Em acréscimo a atuar como chefe do Departamento de Psicologia, ele também conduzia a Divisão de Artes Liberais e atuava como Presidente. Em suas próprias investigações, ele tinha sido cuidadoso em manter a objetividade acadêmica e praticar a avaliação crítica tanto dos Documentos de Urantia quanto do Movimento de Urantia. Ele fez a validação cruzada dos elementos essenciais dos episódios que estamos em vias de relatar com pessoas que tinham experiência de primeira mão com os eventos associados com a origem dos documentos de Urantia.
0.4_9 A história dos Documentos de Urantia também requereu a reunião de um mosaico de velhos documentos e correspondência, documentos mais recentemente disponíveis, e o testemunho de um grande número de fontes. Nem todas as fontes que usei eram amigáveis para com esta pesquisa. Ainda assim, alguns indivíduos que tinham fortes programas para provar que os Documentos de Urantia eram uma fraude, forneceram ligações vitais e iluminaram ângulos escuros. Em outras ocasiões, indivíduos que tinham procurado explicar ou racionalizar erros ou obscurecer fatos forneceram informações que de outra forma não poderiam ter sido obtidas. Qualquer que fosse a fonte, eu retirei evidência de que era plausível, verificável e consistente com outros elementos confiáveis do quebra-cabeças. O leitor pode desenvolver conclusões pessoais do conjunto resultante.

0.5  A sinceridade do autor desta história

0.5_1 Eu garanto ao leitor que fui franco nestas páginas. No espírito de uma sincera busca da verdade, com os conselhos e as sugestões de Joan, do Dr. Sprunger e de diversos estimados Urantianos, eu relatei tudo que aprendi pessoalmente de várias fontes, e documentei essas fontes. Quando em dúvida, eu o admiti. Se precisei especular, ou delinear uma conclusão geral, eu esclareci isso para o leitor. Se um membro do grupo de editores discordou fortemente de uma conclusão, eu formulei e apresentei seus pontos de vista em acréscimo aos meus. Os testemunhos essenciais dos protagonistas que ali estavam e que desempenharam papéis neste extraordinário drama, foram documentados. Diferentemente, nos casos de informações verbais que eu adquiri pessoalmente de vários Urantianos veteranos, eu só fiz uso de coisas que ouvi de pelo menos duas ou mais fontes independentes, e que se harmonizavam com outros dados. Nessa base, creio que os fatos históricos básicos foram toleravelmente, razoavelmente e claramente estabelecidos. Mesmo quando não polidos, embelezados ou submetidos a especulação, esses fatos formam claros padrões e tecem uma intrigante e toleravelmente completa tapeçaria.
0.5_2 Histórias são obstáculos inescapáveis e processos dolorosos. As pessoas que empreenderam essa tarefa de desenvolver uma história boa e sadia estão cientes de que o produto final é um argumento convincente que pode ajudar a delinear o destino dos Documentos de Urantia. As apostas são altas, porque o que em última análise está em causa são as várias filosofias e programas daqueles que buscam controlar a Revelação de Urantia. Virá sem surpresa, então, que as interpretações dos eventos relativos aos Documentos de Urantia estejam destinados a ser violentamente contestados. Algumas vezes os fatos acerca dos Documentos de Urantia estarão em litígio, mais frequentemente, contudo, o significado dos fatos será o centro de controvérsia histórica. Nosso esforço para desenvolver uma boa história foi muito cuidadosamente orquestrado, mas estamos cientes de que ele não conterá as palavras finais. Nosso grupo descobriu ao longo do caminho muitas coisas inesperadas que requerem grande quantidade de mais pesquisas. O que tentaremos atingir aqui são três objetivos cardinais: 1. Estabelecer um razoável alicerce de fatos documentados, 2. Abrir tantas portas até aqui "proibidas" quanto possível para ulteriores investigações, e 3. Deixar fios para os futuros Urantianos pegar, seguir e desenvolver. Em resumo, nós estamos ensaiando um começo.

0.6  Agradecimentos

0.6_1 Primeiro de tudo, agradeço aos Urantianos em cujos ombros eu necessitei subir para escrever esta história. Eu agradeço primeiramente aos Urantianos originais que produziram a impressão de 1955, e em seguida, meus agradecimentos à Meredith Sprunger, por todos os seus anos de liderança, sabedoria e visão interior. Agradeço a Joan Batson Mullins, minha parceira e inspiração infalível, cujo conhecimento notável dos Documentos, honestidade e integridade sempre conduziram os projetos Urantianos para outro nível. Grato a ti, Joan, por fazer os inúmeros últimos anos de minha vida, os mais felizes para mim. Agradeço à jovem Urantiana Michell Mullins, por sua ajuda com os quadros e gráficos, por decifrar os documentos gastos e desbotados dos primeiros Urantianos, e por sua fé no seu papai. Agradeço Kathleen Mullins, cuja busca pela verdade modifica vidas, uma delas foi a minha própria.
0.6_2 Agradeço Eric Cosh, um Urantiano que tem fielmente, ao longo dos anos, dado generosamente de seu tempo, talento e esforço em prol da Revelação. Agradeço James "JJ" Johnson, um Urantiano comprometido e em prontidão, que foi muito além da "segunda" milha para ajudar neste projeto. As marcáveis observações de JJ e insuperável conhecimento sobre os Documentos de Urantia, ajudou a fazer este esforço muito mais do que teria sido sem ele. Agradeço Dr. Angel Sánchez-Escobar de Seville, Espanha, por seu serviço paciente, valente e de visão para os Urantianos falantes do Espanhol, e seu suporte, assistência e traduções do Espanhol de nossa história. Agradeço Jeanney Horn, cuja excepcional habilidade editorial elevou e melhorou muito o produto final. Agradeço Merritt Horn, cujos marcáveis insights e escolaridade não comprometida, trouxe à plena abertura uma versão impressa do texto original, perdida e inviolada, e ajudou esta história além da medida. Agradeço David Kantor, cujo compromisso energético para Revelação Urantiana e intensa integridade e coragem são um exemplo neste dia e geração de Urantianos. Agradeço Andre Radatus, que traz equilíbrio, paciência e razoavel clareza para qualquer projeto Urantiano que ele abraça.
0.6_3 Agradeço Rosey Lieske, por seus anos de suporte e encorajamento, por sua exemplar interface com os países falantes do Espanhol e pelo alcance de seus meta-valores que são insuperáveis no movimento. Agradeço Norm Du Val, um Urantiano apaixonado e devotado que está sempre querendo prestar assistência em absolutamente qualquer coisa para ajudar a Revelação. Agradeço David Biggs, um destes grandes Urantianos que tem trabalhado incansavelmente por anos a favor da Revelação com pouco reconhecimento. Agradeço ao Dr. Jill Strunk, um Urantiano devotado que tem sido de ajuda imensurável como um hábil editor e conselheiro ao longo dos anos. Agradeço Victor McGonegal, que tem sido um amigo ao longo de uma vida, que trouxe seu livro aproximadamente na mesma época que eu o fiz de Clyde Bedell, e que tem por muito tempo provido serviço de liderança para o largo grupo de Urantia independente em Washington D.C. Agradeço Kristen Maaherra e Eric Schaveland, cujos insights, conselhos e documentação ao longo dos anos tem ampliado minha perspectiva e entendimento imensuravelmente, e por sua coragem em se manter firme nos princípios de uma Revelação livre. Agradeço Donald Shea Green, amigo, apoio e âncora fiel de nossa Vivência do Grupo de Professores.
0.6_4 Agradeço Mary Doubek, que inspira e serve suas irmãs e que eleva os corações de seus estudantes. Agradeço aos jovens homens Kruger, Micah, Damon, e Aaron, que se esforçam para viver os ensinamentos conosco cuja vontade um dia irá ajudar a virar o mundo de cabeça para baixo. Agradeço Angie, Jesse e Haley Thurston de nosso grupo de estudos de jovens que me lembram todas as semanas sobre o motivo desta Revelação - e a Claire e Chuck Thurston por dar suporte ao grupo tão energicamente. Agradeço Tom Choquette por seu encorajamento e muitas assistências amáveis, seu profundo insight no significado e missão real dos Documentos de Urantia, e por sua notável assistência à juventude. Agradeço Behzad Sarmast e Marielle Tavares por sua compreenssiva amizade e maravilhoso companheirismo. "Behz", como nós o conhecemos, é um destas extraordinários Urantianos que destemidamente pesquisa e procura a verdade - e que habilidosamente escreve e generosamente apresenta seus achados para torná-los acessíveis aos outros. Agradeço Clyde Bedell, que me deu meu primeiro Livro de Urantia e me falou, pouco antes de sua morte,
0.6_5 "Existem dezenas de ajudantes invisíveis em todo redor de nós que desejam ardentemente nos auxiliar se nós simplesmente começarmos a fazer alguma coisa."
0.6_6 Agradeço Berkeley Elliott, que primeiro me ensinou sobre serviço de liderança e que me introduziu na minha primeira "família" Urantiana em Oklahoma City. É claro, grato a vocês, ajudantes não vistos e não ouvidos, que um dia eu espero conhecer. Agradeço à toda fraternidade de crentes de todas as fés que se esforçam para servir a humanidade e realizar a integridade, benevolência e excelência. Agradeço à todos os Urantianos cujo trabalho eu me referi, sem os quais nós virtualmente não teríamos nenhum registro. Agradeço aqueles que concordam com minhas conclusões, e aqueles que as disputam e vão ajudar a clarear as questões por um debate razoável, e especialmente aqueles que vão criar histórias amplamente melhoradas no futuro, grato meus irmãos e irmãs.
0.6_7 Eu fiz um esforço sincero para descobrir a justa verdade, no melhor da minha habilidade, como ela pareceu para mim. No esforço para fazer isso, eu posso ter inevitavelmente ofendido alguém. Se assim o foi, nas palavras de Shakespeare:
0.6_8 "Da mesma forma que tu gostarias de ser perdoado de seus crimes, que o seu perdão me liberte."
Larry Mullins
Boulder, Colorado

Notas de Rodapé:

1 Embora a proclamação da Revelação seja feita, os Documentos repudiam infalibilidade: "Os documentos, dos quais este é um deles, constituem a mais recente apresentação da verdade aos mortais de Urantia. Esses documentos diferem de todas as revelações anteriores, pois não são um trabalho de uma única personalidade do universo; são, sim, uma apresentação composta, feita por muitos seres. Nenhuma revelação, todavia, pode jamais ser completa, antes de se alcançar o Pai Universal. Todas as outras ministrações celestes não são mais do que parciais, transitórias e praticamente adaptadas às condições locais de tempo e de espaço. É possível que, ao admitir tudo isso, possamos esvaziar a força imediata e a autoridade de todas as revelações, mas é chegado o tempo em Urantia, em que é aconselhável fazer essa declaração franca, ainda que correndo o risco de enfraquecer a influência futura e a autoridade desta obra, que é a mais recente das revelações da verdade às raças mortais de Urantia." (Livro de Urantia, página 1008, parágrafo 2)
2 A identidade do sujeito adormecido continua a fascinar os leitores. Um livro publicado em 1999 por John M. Bunker e Karen L. Pressler procurou provar que Edgar Cayce era o sujeito. (Edgar Cayce and The Urantia Book, 1996). A família Cayce negou isso, e o Dr. Sprunger e outros acadêmicos Urantianos permaneceram também não persuadidos. Meu próprio julgamento me compele a refutar essa idéia. Cayce morreu em 1945, o que foi muito provavelmente dez anos antes de as mensagens finais serem recebidas. Além disso, os escritos de Cayce, com sua ênfase sobre reencarnação e fenômenos psíquicos, estão bem longe do campo dos Documentos de Urantia.

Índice Superior    Vai para o próximo: Capítulo 1

Arquivos de Impressão: Capítulo 0 em Tamanho A4.

Livro em Texto (txt).


História dos Documentos de Urantia
De Larry Mullins
Com Meredith Justin Sprunger

Traduzido generosamente por
Francisco Santos de Oliveira

Capítulo 0
Introdução

Introdução
    0.1  Unificando ciência, filosofia e religião
    0.2  A revelação completa pertence à Deus no Paraíso
    0.3  Veracidade reconhecida dos envolvidos nesta revelação
    0.4  Cuidado com as versões falsas desta história
    0.5  A sinceridade do autor desta história
    0.6  Agradecimentos